Sábado, 06 de Novembro de 2010

As glórias do passado estão perdidas.

As esperanças de Abril também.

Somos humildes pedintes

com o olhar fixo no além.

Dizem-nos:

Quem manda é quem paga.

A Bruxelas devemos obediência, reverência e outras coisas mais.

Em Lisboa:

Senhores com fatos de elevada confecção,

assinam pactos, leis,

afirmando que têm razão. 

Calaram-se as vozes.

Pessoas de semblante cansado, caminham.

Já não há cantigas de intervenção.

Alguém  pergunta:

E o POVO?

Corre nas suas veias sangue

da cor dos cravos de Abril.

E é dessas entranhas que surge o grito:

Chega.

Estamos fartos.

Os nossos filhos precisam de pão.

Eix que o milagre acontece.

E mais uma vez,

ao som de uma Grândola Vila Morena

Homens e Mulheres

da força dos seus braços,

nas fábricas e nos campos

Constróiem de novo

uma NAÇÃO.

Maria Antonieta Girão Fevereiro

 

 

 

 

 

 

publicado por alertamadrugada às 00:09
|

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
24
25
27

28
29
30


comentários recentes
Agradeço a sua visita e comentário. este será sem...
Muito Bom post.Realmente, este flagelo agrava em m...
um belissimo artigo que está inserido no blog Arra...
Dos piores poemas que encontrei no Alertamadruga!!...
Um belissimo artigo escrito por Clara Ferreira Alv...
e quem fala assim nao é gagooooooo.
grandes verdades ditas em poesia.
Ora aqui mais umas valentes verdades, ditas e escr...
forca Antonieta..obrigada por nos ofereceres um bl...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro